20201229CaetanoBus nao As administrações da CaetanoBus e da Caetano Aeronautic investiram no referendo e na chantagem, mas os trabalhadores conseguiram uma vitória e impediram as empresas de aplicarem o banco de horas, salientam os sindicatos SITE Norte e SITE Centro-Norte.
11.1.2021

 


Numa nota subscrita em conjunto, os dois sindicatos realçam que a firmeza dos trabalhadores da CaetanoBus e da Caetano Aeronautic impediu a aplicação do banco de horas nestas empresas do Grupo Salvador Caetano, apesar de as administrações terem recorrido ao expediente do referendo, introduzido em 2019 no Código do Trabalho e que o actual Presidente da Republica, recorde-se, promulgou.

Para esta vitória dos trabalhadores, alcançada debaixo de um clima de ameaça e chantagem, foi decisiva a unidade dos trabalhadores e a atitude determinada dos sindicatos de classe da Fiequimetal/CGTP-IN (SITE Norte e SITE Centro-Norte) que desde a primeira hora esclareceram os trabalhadores e demonstraram que o único propósito daquelas administrações é, tão só, aumentar a exploração, com recurso ao agravamento dos horários de trabalho.

Com mais esta derrota dos patrões, no seguimento do que já tinha ocorrido na Plural e na Galpgeste, os trabalhadores vêem reconhecido o direito ao pagamento, como trabalho suplementar, das horas trabalhadas para além do seu horário normal de trabalho.

Fica assim demonstrado, uma vez mais, que não existem inevitabilidades e que o patronato não pode tudo, muitos menos o quero, posso e mando, e que nas relações de trabalho têm de ser respeitadas a dignidade de quem trabalha e a conciliação entre o trabalho e a vida familiar.


Ver também
- Na CaetanoBus e Aeronautic contra banco de horas (4.1.2021)
- Galpgeste sem banco de horas deve avançar para aumentos (4.12.2020)
- Banco de horas na Plural derrotado também com votos (15.11.2020)