20211229Linde Portugal arquivoOs trabalhadores da Linde Portugal, organizados no SITE CSRA e no SITE Norte, mostraram-se unidos e prontos a lutarem pela sua proposta reivindicativa. Alcançaram aumentos salariais, subsídio escolar para os filhos e recuo patronal na obrigação de lavagem das fardas.
30.12.2021

 


Para 2022, os aumentos dos salários-base variam entre 56 e 75 euros (40 euros, acrescidos de dois por cento), para a maioria dos trabalhadores.

Nos escalões salariais mais elevados, a actualização é de dois por cento.

Será atribuído um subsídio escolar, por cada filho, no valor de 82,50 euros (desde a creche ao 12.º ano) ou de 123,50 euros (na universidade).

Esta reivindicação teve como objectivos a promover a natalidade e propiciar melhores condições de vida aos filhos dos trabalhadores.

A lavagem das fardas de trabalho continuará a ser uma responsabilidade da empresa. A administração tencionava transferir este encargo para os operários, mas estas deixaram clara a sua oposição a tal mudança.

 

Participação determinante

O caderno reivindicativo para 2022 foi apresentado à administração da Linde Portugal, como resultado de várias reuniões de trabalhadores, realizadas pelos sindicatos durante os meses de Novembro e Dezembro.

As reivindicações foram ao encontro das necessidades e dificuldades sentidas, como a perda de poder de compra, a desvalorização das carreiras e o congelamento de salários.

Também foram considerados os bons resultados da Linde, obtidos em situação de epidemia, com os trabalhadores enfrentando riscos elevados.

A administração apresentou-se com uma posição não negocial e sem pretensão de sentar-se à mesa.

Em plenários, os trabalhadores decidiram avançar com dois dias de greve, caso a empresa não mudasse a sua posição. Sem baixarem os braços, mantiveram-se unidos e organizados, prontos para a luta pelas suas reivindicações, e assim conseguiram que a administração entrasse em negociação.