20230115industria farmaceutica arquivoA reivindicação de 125 euros de aumento salarial, no mínimo e para todos os trabalhadores do sector farmacêutico, procura garantir melhores condições de vida, fazer face ao enorme aumento de preços e promover o crescimento da procura interna — afirma a Fiequimetal, num comunicado em distribuição nas empresas.
15.1.2023

 

A produção de produtos farmacêuticos continua a ser um sector com resultados financeiros bastante positivos e com lucros colossais.

Já no que respeita aos trabalhadores, tudo aponta para um agravamento da perda de rendimentos, desde logo, face à inflação (10,3% em Novembro de 2022, segundo o Banco de Portugal).

A proposta reivindicativa dos trabalhadores do sector, para o ano de 2023, foi entregue pela Fiequimetal à Apifarma no final de Novembro.

Mas, segundo a associação patronal, a actualização salarial deverá rondar os cinco por cento, um valor que não traduz o desempenho do sector, nem é suficiente para os trabalhadores enfrentarem a situação actual, alerta-se no comunicado.

São referidos ainda outros pontos da proposta sindical, tais como: redução progressiva do horário de trabalho para as 35 horas semanais, sem perda de retribuição; regulamentação do trabalho por turnos; dispensa remunerada, a gozar no dia de aniversário do trabalhador; 25 dias úteis de férias para todos os trabalhadores, sem nenhum condicionalismo; redução do tempo para alcançar uma diuturnidade, sem limite do número destas.


Ver também
- Comunicado aos trabalhadores das empresas do sector farmacêutico (Apifarma)