Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas - CGTP-IN

Refinaria-Sines-Petrogal-arquivoPerante os resultados da GALP Energia em 2023, hoje anunciados, a Fiequimetal e os seus sindicatos com intervenção nas empresas do Grupo (SITE Norte, SITE Centro-Norte, SITE Centro-Sul e Regiões Autónomas, SITE Sul e STRAMM) recordam a proposta patronal de apenas dois por cento, para actualização salarial anual.
12.2.2024

 

A GALP informou que obteve lucros (resultados líquidos) de mil milhões de euros em 2023, o que representa, nas suas contas, mais 13,7% do que em 2022.
Neste ano, já tinha sido atingido um resultado nunca visto na história do Grupo GALP, que agora supera esse recorde.

A administração também anunciou que vai propor um aumento de 4% dos dividendos a distribuir em 2024 e ainda uma recompra de acções (outra forma de remunerar os accionistas) de 350 milhões de euros.

Esta generosidade para com os accionistas tem sido uma constante.

Contudo, em gritante contraste, a administração recusa-se a valorizar os trabalhadores. Na negociação salarial para 2024, apresentou uma contraproposta de 2% (dois por cento!), em resposta à nossa reivindicação de 250 euros para cada trabalhador.

A GALP deveria ser exemplo, no contributo a dar para o crescimento significativo dos salários em Portugal. Mas a administração toma, desta forma condenável, o lado dos accionistas, desmerecendo aqueles que criam a riqueza nas empresas do Grupo GALP.

 

Ver também
Nota à comunicação social, com contacto para declarações

 

Subscrever notícias (mailing list)