AIS Montemor-o-Novo arquivoNo mês de Julho, 21 trabalhadores que estavam ao serviço da AIS Portugal, em Montemor-o-Novo, através de uma empresa de trabalho temporário, passaram a ter contratos de trabalho a prazo com a empresa do sector automóvel para que efectivamente laboram. Este avanço resulta da luta dos trabalhadores e da intervenção do sindicato, salienta o SITE Sul.
8.7.2019

 

Ao longo de 10 anos a intervenção do SITE Sul nesta unidade da Automotive Interior Systems tem sido sempre o motor da melhorias das condições de trabalho e do combate à precariedade, refere o sindicato, numa nota à comunicação social.

Os resultados desta  luta começaram em 2017, ano em que a empresa, após muita resistência, foi obrigada a integrar com vínculo efectivo um trabalhador despedido irregularmente e que desempenhava funções através de uma empresa de trabalho temporário.

O SITE Sul salienta ainda que, nos primeiros cinco meses de 2019, a AIS e a Randstad, por intervenção do sindicato, pagaram mais de 11 mil euros a dois trabalhadores irregularmente despedidos e que preferiram a indemnização em vez de serem reintegrados com vínculo efectivo à empresa.

O sindicato reafirma que defende que a cada posto de trabalho permanente deve corresponder um vínculo de trabalho efectivo. Foi isso que ainda recentemente fem em reunião com a ACT de Évora e é isso que irá continuar a fazer em todas as instâncias, até onde os trabalhadores da AIS estejam dispostos a levar a sua luta.

 

Ver também:
- Nota de imprensa do SITE Sul