edp materias pendentes 2020É necessário acelerar na EDP as negociações das matérias pendentes, interrompidas no início de Julho e retomadas esta semana, defende a comissão negociadora sindical liderada pela Fiequimetal, assinalando que há muito para melhorar.
11.9.2020


Na reunião plenária de dia 9, voltou a ser discutido o subsídio de estudo a descendentes. Aguarda-se que a administração apresente a sua proposta nesta matéria, para que seja possível concluir a negociação durante o corrente mês, o que permitirá que o acordo seja aplicado no ano lectivo 2020-2021, com garantia de um verdadeiro acréscimo para os trabalhadores.

Por outro lado, a rapidez nas negociações referentes ao subsídio de estudo a descendentes corresponde à urgência de iniciar o debate do maior número de outras matérias, dando solução aos problemas dos trabalhadores das empresas do Grupo EDP.

Na informação divulgada após a reunião, a comissão negociadora sindical da Fiequimetal refere, em primeiro lugar, a negociação da melhoria das ajudas de custo e do subsídio de disponibilidade, entre outras matérias, defendendo que há caminho para melhorar as condições de vida de quem trabalha na EDP.

No contexto desta reunião foram colocadas à Administração várias outras questões.

No que concerne à saúde, a CNS/Fiequimetal levantou o problema sentido pelos utentes da Sãvida, com a dificuldade de acesso aos postos médicos e aos seus serviços, como exemplo das consequências da redução de pessoal médico e de enfermagem, entre outros.

Sobre o teletrabalho, a CNS defendeu que a administração deve justificar o porquê da sua urgência em testar este regime. É preciso reflectir sobre quais as condições no futuro, e os prós e contras deste modelo de trabalho devem ser devidamente debatidos.

Ver também
- Informação N.º 4, de 9 de Setembro
- Teletrabalho: a invasão da privacidade do trabalhador (documento da CGTP-IN)
- Acordo sobre subsídio TET garante pagamento em Julho (2.7.2020)