20190321DesfileNacional arquivo20180301O desfile de âmbito nacional, que a Fiequimetal promove esta sexta-feira, dia 22, realiza-se no seguimento de uma quinzena de esclarecimento, acção e luta dos trabalhadores das indústrias metalúrgicas, químicas, eléctricas, farmacêutica, celulose, papel, gráfica, imprensa, energia e minas.
21.3.2019

 

Nas últimas semanas milhares de trabalhadores têm levado a cabo importantes acções de luta, inclusive com recurso à greve, como nas refinarias da Petrogal, em Sines e em Matosinhos, e nas empresas Ferreira da Silva, Auto-Sueco, Cinca, Hanon e Schmitt+Sohn.

Com o desfile de amanhã, a federação e os sindicatos pretendem dar mais visibilidade e mais força às lutas e reivindicações dos trabalhadores, bem como alertar para a situação laboral.

Na acção participará o Secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

14h00 – Sede da Randstad, com trabalhadores em greve (centro de contacto da EDP)
A jornada de luta inicia-se na Avenida da República, junto à sede da Randstad, multinacional do trabalho temporário a que está subcontratada a operação dos centros de contacto da EDP, responsável pela existência de alguns milhares de trabalhadores com vínculos precários e baixos salários.


14h45 - INCM, com plenário de trabalhadores
A primeira paragem, na Imprensa Nacional Casa da Moeda, coincide com um plenário onde os trabalhadores desta empresa do sector empresarial do Estado vão reclamar o aumento dos salários.


15h45 - Sede da ANIMEE
Na sede da associação patronal das empresas fabricantes de material eléctrico e eletrónico vai ser entregue uma carta reivindicativa dos trabalhadores deste sector.
Entre as multinacionais filiadas na ANIMEE estão algumas importantes empresas com recentes processos de luta, tais como:
- a Bosch Car Multimedia, onde os trabalhadores do regime de laboração contínua se mobilizaram contra as discriminações salariais e outras;
- a Efacec, grupo empresarial onde se têm realizado importantes acções de luta pela melhoria das condições de vida e trabalho;
- a Delphi, a Visteon e a Hanon (nesta decorre um período de greves até dia 29).


16h30 - Ministério do Trabalho
O desfile termina com uma concentração na Praça de Londres, junto do Ministério do Trabalho. Será colocada à aprovação uma resolução que retrata a situação laboral e social nas indústrias metalúrgicas, químicas, eléctricas, farmacêutica, celulose, papel, gráfica, imprensa, energia e minas.
No documento serão incluídas reivindicações como o aumento dos salários, o respeito pela negociação colectiva e os direitos da contratação colectiva, horários de trabalho que respeitem a conciliação entre a vida profissional familiar e pessoal, a melhoria das condições de trabalho.