REN SALARIOS2019Com atitudes prontamente rejeitadas pela Fiequimetal, a administração do Grupo REN mostrou, na primeira reunião de negociação da revisão salarial, que quer forçar os sindicatos a aceitarem valores cada vez mais baixos, para distribuir aos accionistas o mais possível.
14.3.2019

 

A reunião, inicialmente marcada para dia 7, passou para dia 11, a pedido da parte patronal. Mas este foi um adiamento para uma falsa partida, como se destaca no comunicado que a comissão negociadora sindical liderada pela Fiequimetal difundiu para os locais de trabalho.

Com o maior desplante, a comissão negociadora da REN iniciou a reunião exigindo que fosse reformulada a proposta sindical sobre a tabela salarial e outras matérias de expressão pecuniária.

A Fiequimetal repudiou tal atitude inaceitável e que afronta o respeito que merecem a federação e os trabalhadores que esta representa. A posição da REN é própria de quem não sabe o que quer, ou de quem sabe e quer criar «barreiras de fumo» para adiar a sua falta de vontade negocial.

A proposta reivindicativa foi acompanhada da devida fundamentação economica. Mas, segundo os porta-vozes da administração, estaria desactualizada face às previsões económicas mais recentes. Aliás, a empresa quer ter as suas tão actualizadas que ainda continua à espera que saiam novas previsões.

Nesta primeira reunião ficou, mais uma vez, perfeitamente claro que a opção da administração não é valorizar os trabalhadores (que têm, ao longo dos anos, criado toda a riqueza do Grupo REN), mas tão somente distribuir o mais possível aos accionistas.

Sem apresentar qualquer contraproposta, a CN/REN afirmou, a encerrar a reunião, que teria margem para expressar uma posição da administração, caso a proposta sindical inicial fosse alterada. Para a Fiequimetal, isto prova que a administração apenas quer forçar os sindicatos a aceitarem valores cada vez mais baixos, mas isso não será permitido.

 

Ver também
- Comunicado aos trabalhadores das empresas do Grupo REN
- Apresentada a proposta na REN devem começar negociações (7.2.2019)