20170428CelCatCom muito forte adesão, à semelhança das greves já realizadas este ano, os trabalhadores da General Cable CelCat fizeram greve na quarta, quinta e sexta-feira, por aumentos salariais, horários de trabalho e direitos, mostrando-se firmes e unidos para continuarem a exigir resposta positiva da multinacional.
30.9.2017



A greve iniciou-se no primeiro turno de quarta-feira, às 00h30, e terminou na madrugada de hoje, à mesma hora.

Na quinta-feira, dia 28, de manhã, Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP-IN, esteve com o piquete e outros trabalhadores em greve.

Nos próximos dias, os trabalhadores e o SIESI vão analisar outras formas de luta, caso a administração persista em não iniciar negociações sobre as matérias objecto de reivindicação.

A par dos salários - que tiveram aumentos insignificantes nos últimos dez anos, com excepção de uma minoria, há dois anos, o que evidenciou mais a injustiça, somando-se aos lucros milionários exibidos aos accionistas - os trabalhadores incluem nos objectivos da luta a contestação da jornada de trabalho de seis dias, com laboração de sete horas seguidas sem período de descanso (refeição), e a revisão de cláusulas do Acordo de Empresa referentes a férias, pagamento do trabalho complementar, subsídios de alimentação e anuidades.

Ver também:
- Arménio Carlos junta-se à greve na Celcat (SIC, 28.9.2017)
- Vai começar na CelCat nova série de greves (26.9.2017)